Somaliland-Republic of Somaliland may 2018

      -Somaliland-Republic of Somaliland may 2018

 

Africa, o continente mais exótico e extraordinário deste planeta

               A Somália, República Federal da Somália, país reconhecido internacionalmente, tem como vizinho o território que proclamou auto  independência: Republic of  Somaliland. A Somália, que ganhou sua liberdade da Itália, seis dias após a atual Somaliland em 1960 do Império Britânico, tem os seguintes estados: Jubaland, Puntland, Galmudug, South West State, Hit-Shebelle. Cada estado com  um presidente, ou presidente regional comparados a governadores. São  cinco  presidentes regionais  dos Estados  que é  a Somália Federal. Estes presidentes regionais e assim como o Presidente da Somália são eleitos pelos parlamentares em um total de seis , portanto. Em  Somaliland as eleições são democráticas e estão no quinto presidente.

              O território mais ativo, a República da Somaliland , um país auto proclamado, internacionalmente reconhecido como um região independente da Somalia. Ainda não reconhecido pelo ONU. População: 3,5 milhões. Capital: Hargeisa com 1,1 milhões. Formado em 1960, sucedendo o Prectorado Britânico, seis dias antes da Somália Italiana. Em 1988 houve guerra contra o Somali National Movement e a  Guerra civil destruiu a economia e infraestrutura militar e da hoje Capital e em 1991 declarou unilateralmente sua independência e está solicitando reconhecimento internacional como Goverment of the Republic of Somaliland. 

              Idioma oficial: Somali. Depois árabe e inglês.Lema do país, de comando Árabe, “Não existe deus , porém Deus . Muhammad é o mensageiro de Deus.” O dia da independência é comemorado em 18 de maio. Este ano, em 2018 foi antecipado para o dia 15 em virtude do período de Ramadã que os muçulmanos observam.

               As festividades e o desfile militar ocorreram na rua central, com a presença  do Presidente atual, o quinto desde a independência. Muito colorido, verde, vermelho , branco, as cores da bandeira. Pessoas vestidas com roupa deste cor, bandeira enrolada no corpo, chapéus, pins, mantas. Aplausos quando os militares desfilarem em marcha típica e mais aplausos quando os tanques guerra e canhões passaram pela avenida. Se percebe o espírito de combate, da defesa do que foi conquistado.  O grupo com o qual eu estava, de diversas nacionalizes, também no final participou do desfile. 

                 Ao caminhar nas ruas, facilmente se é identificado como estrangeiro, as pessoas vinham falar, pediam para tirar fotos. A simpatia, alegria, o entusiasmo de querer trocar informações e saber o que se acha do país é grande. Por causa do calor, o comércio fecha ao meio dia e reabre as quatro da tarde. Hora da siesta como em muitos países.

                 O turismo, que é pouco ,  é protegido pela polícia turística, que são soldados do exército que acompanham as grupos. Uma região árida, quase todas as ruas da cidade ainda são estrada de chão o que significa muito pó. A distribuição de água é feita com tanques tonéis puxados por mulas. O dinheiro, Somaliland Shilling, que vale 10.000,00 para um dólar americano, faz o câmbio ser um negócios de proporções físicas grandes. Pilhas, muitas pilhas de dinheiro em cima de paletes, na rua, com guarda sol, esperando clientes para trocar dólares americanos. Moeda americana  amplamente aceita. 

                 O setor que se percebe visualmente  adiantado é o das telecomunicações. Cias de Celulares 4G tem várias e quiosques para venda de aparelhos celulares  às centenas. O sistema de pagamento muito usado é o pagamento eletrônico via celular, até por causa do volume de notas.

                  Em um show  cultural a elite da sociedade se fez presente. Este país ainda em formação, não reconhecido pela comunidade internacional, já independente por 27 anos, busca o seu lugar e para seus patriotas, pois a geração atual nasceu depois da independência  declarada em 1991. O passaporte da Somaliland é aceito somente  na Ethiopia e na Inglaterra com carta convite. Alternativa é peticionar um passaporte da Somália para viagens, negócios. Tudo , portanto, é complicado.

                        – O  Saryan Museum de Hargeisa, mostra a história da colônia britânica libertada que rejeitou a liberdade logo após, a guerra civil, os bombardeios que destruíram Hargeisa , a pré história e os Líderes políticos atuais que desde 1991 lutam pelo país. O Centro Cultural de Hargeisa contém uma Biblioteca, espaço par apresentações e uma Galeria dedicada a Laas Geel, cavernas onde estão pinturas de animais e humanos pré históricos.

                          Somaliland é um dos países  com menor renda per per capita , portanto parte dos mais pobres do planeta. Estive aqui no início da observância do Ramadan, onde por uma período da lua, se faz jejum durante o dia, desde nascer até o pôr do sol. Os minaretes anunciam os cinco períodos de oração diários pelos alto falantes. Já vi em alguns países a proibição destes anúncios em respeito às demais religiões. Durante o Ramadan, a refeição pode ser feita exatamente depois das 18h15m, quando os minaretes  anunciam este horário. Observei muitos restaurantes e na rua mesas postas com comida e pessoas sentadas esperando este horário. A refeição é composta de melancia, tâmaras, sucos e pão. 

                    Berbera, cidade litorânea, portuária,  distante 150 km de Hargeisa , no caminho está Las Geel e portanto  as cavernas Laas Geel. Pinturas  rupestres. São sete cavernas com desenhos de idade entre 5000 a 7000. É o homem descobrimento por onde esteve antes de chegar aqui. O mar vermelho se encontra com o Golfo do Aden nesta região. Aqui , em Berbera, está a maior pista, a mais comprida , para aviões do mundo, 4,110 km, construída pelos americanos para pouso do Space Shutlle caso ocorra problemas para pouso em Cape Canaveral na Flórida, 

                      Em Sheik, visitei uma escola patrocinado pela SOS Hermnann Gmeiner , organização europeia que aloca recursos na África e que leva o nome de seu idealizador o alemão ,  Philantopista Hermann Gmeiner. 

                       Em Addis Ababa, Ethiopia,  é  a Lucy, em Joburg, Johannesburg na África do Sul, o museu The Cradle of Humankind. Somos todos, de certa forma africanos. E antes disto, de onde descendemos?  Eternas questões: da onde viemos, porque estamos aqui , para onde vamos. Enquanto isto, faça o máximo do seu tempo e faça o que você quer, mesmo se equivocando, sempre com responsabilidade, pensando nos que vem depois de você. É mais  tarde do você pensa. 

                    A experiência aqui foi para testemunhar , talvez o pior nível de vivência e sobrevivência humana, pois é no continente Africano que a maior  pobreza é registrado.. E um país em formação,  com início após uma guerra civil, em busca de identidade. É um turismo observador . No grupo estiveram viajantes da Irlanda, Austrália, Holanda, Canadá, Turquia, Tailândia. O companheiro de quarto, que é designado aleatoriamente, era um médico da Austrália. 

                                 uma aventura, desconforto, calor, cuidado ao escovar os  dentes com água de garrafa, falta de energia constante, comida diferente, ritmo lento nas locomoções por conta das rodovias, pobreza de infraestrutura. Acredito ser  necessário conhecer, e não somente ler e ver notícias na televisão a respeito, para entender está parte do planeta, nossa casa e finalmente entender e compreender melhor a si, o propósito de tudo.

                                         Viajar é para sempre, viaje você também. E porque viver cada ano igual aos anteriores? 

Por quê tudo isto? Porque é mais tarde que você pensa.

            -E porque    tudo é uma questão de atitude.

fotos – no Drive. 

https://drive.google.com/open?id=0Bz9_qUt1B-ERMFk1NTE5LTNxMmc

Vídeos- No YouTube sob o meu nome. 

HANS, Marcos 

Writer, Speaker, Administrator, Personal and Executive Coach ICI Integrated Coaching Institute.

Commercial  real estate  developer and  a  Happy World Traveller 

Past Grand Secretary of Foreign Affairs- Grand Lodge of Rio Grande do Sul – Brazil

Grand Representative near Grand Lodge of India.

Past Master,33,MRA,SEM,Kt.Pr., FRC,Shriner, Potentate 2018 Hikmat Temple, SRCF VII, TOM. 

See curriculum.  http://www.sejalider.com.br/?p=4243

Share