Republic of Korea – Seoul -may 2017

IMG_0107
-Korea é um península atualmente dividida em dois países. Korea do Norte, DPRK,(25m hab.) capital Pyongyang e Korea do Sul,ROK,( 50m hab.) capital Seoul. Visitei a Korea do Norte recentemente por 21 dias e experimentei, vi, senti o sistema atual no comando da dinastia Kim. Vim agora conferir a Korea do Sul e na primavera. Muitas foram as capitais em mais de dois mil anos de história. Atualmente Seoul ,( 10m hab.) uma cidade moderna com modernos edifícios , metro de alta tecnologia, misturado aos templos budistas e palácios reais , bem conservados, porque na maioria foram restaurados após ocupação japonesa e os mercados de rua. Independente do Japão desde 1945, resultado da segunda guerra. Os japoneses queriam tudo na região, mas foram barrados pela aliança em tentativas diplomáticas que falharam e Hiroshima e Nakasaki foram o resultado. Necessário registrar a densidade populacional, duas vezes mais habitantes por km2 do que New York, ou seja , muitas gente vivendo bem juntinhos em espaços pequenos. Como em Tokyo, como em Hong Kong, como em New York.
– Na aeroporto a policial atendente colocou o passaporte em um leitor, a tela com instruções e faladas foi em português. Tecnologia facilitando com idiomas customizados.
– O Palácio Gyeongbokgung ,o maior dos cinco palácios em Seoul, da dinastia Joseon, construído em 1395, está praticamente no centro e as montanhas em suas costas o tornam majestoso. Ali ocorre a cerimônia da troca da guarda duas vezes por dia para os curiosos turistas.
– Muitas pessoas com trajes típicos na visita aos palácios, na rua, nos mercados. A maioria turistas que alugam o traje. Com o traje não se paga ingresso para visitar os palácios. Uma maneira de incentivar e preservar os costumes. Mas também, trajados tipicamente muitos casais coreanos. A gentileza na rua para prestar informações, levando você ao local por exemplo, é típico do asiático.
-O museu das Guerras, War Museum of Korea, relata uma versão diferente daquela que contada na Coreia do Norte. A Coreia do Norte conta que foram invadidos pelo Sul e aqui que demonstra foram invadidos pelo Norte, que quase conseguiu ocupar todo o país. A ONU, recém criada , autorizou a intervenção e mais de 69 países ajudaram na recuperação da parte Sul, com um armistício assinado em 1953. E eis o resultado. O Sul , destruído se recuperou em 50 anos . Era um dos países mais pobres do mundo na década de sessenta.Plano de recuperação coordenado pela ONU onde os USA foram os maiores contribuintes financeiros. Aqui chamado de milagre do Rio Han, assim como a recuperação rápida da Alemanha foi chamada de milagre do rio Rheno.O Norte, com regime fechado até hoje , gasta em testes nucleares e deixa a infraestrutra do país em colapso. Em 2015 visitei Coreia do Norte com visto especial por 21 dias. Necessário mencionar, que em nome da United National e dos USA, o Gen.Mac Artthur foi o herói desta guerra também.
– A cidade de Suwon , 30 km de Seoul, foi sede da copa do mundo de 2002, cuja atração principal é o Hwaseong Fortress. Cidade medieval , muralhada, onde o portão principal, o Paldalnum mostra a grandeza do que foi o forte. Estava acontecendo , quando visitei um festival folclórico, aliás em toda a Korea, para relembrar é comemorar a época dos Reis.
– Cada país, cada região, Estado, cidade, praticamente no mundo todo estão promovendo o seu passado para além de atrair turistas, manter a história viva, não somente em livros mas na população vida atual.
– O Bukhansan National Park, que fica nos subúrbios de Seoul é um dos parques mais visitamos da Korea para hiking.
– A propósito – pombos e tico-tico devem ser os pássaros mais universais deste planeta. Encontro em todos os países que vou.
– Desde o Império Romano os banhos públicos se mantiveram na Europa e Ásia. Aqui na Korea do Sul, é tradição uma vez por semana Irma uma sauna, onde diversos procedimentos envolvendo sauna a vapor, seca, água fria, quente em diversas temperaturas, banho de sal, jatos, massagens fazem parte do estado de saúde da população. Já conferi banhos públicos na Turquia, Alemanha, Hungria, no Kasakistan e agora na Korea do Sul.
– O povo, as pessoas que contatei todas foram receptivas, gentis, e mesmo não conhecendo o idioma internacional inglês, tentaram ajudar de alguma forma. Gostei da experiência e de constatar isto. Venha conferir. Tive o privilégio de conhecer as duas Koreas e as pessoas são as mesmas, a diferença está somente no comando, na política.
– A expressão, ” senta lá na Coréia, ” vem da década de 60 quando este país era um dos mais pobres do mundo. Dizer isto hoje é valorizar a posição da nação.
– E por que tudo isto? Porque a  atitude é de viajar, de conhecer culturas para entender este mundo e principalmente para responder a pergunta dos séculos: da onde viemos e para onde vamos. E porque é mais tarde que você pensa.

-fotos –https://drive.google.com/open?id=0Bz9_qUt1B-ERLXlmd2NnM3lhUkk
Marcos Hans
Traveler

Share