A gente Morre. nov 2018

A gente Morre.

Um novo periodo de inicia a cada ano.

(  novembro  1958- 2018)

-A GENTE MORRE e fica tudo aí,

os planos de viagens,  as  tarefas de casa, a limpeza do pátio, a manutenção das pinturas  artísticas na parede, as dívidas, os recebíveis, os conversíveis, os amigos, os conhecidos, os filhos…

-A GENTE MORRE sem sequer refrigerar os vinhos na geladeira, sem abrir aquela garrafa de bebida de 18 anos, deixando  roupas por lavar, roupas limpas penduradas nos cabides, as meias organizadas, os sapatos , os cintos e tênis enfileirados.

-A GENTE MORRE, e some toda a importância que pensávamos que tínhamos, a vida continua, as pessoas superam e seguem suas rotinas normalmente.

-A GENTE MORRE e todos os grandes problemas que achávamos que tínhamos desaparecem. E nem se fica sabendo que não  tinham importância, afinal se morreu.

Os problemas moram dentro de nós. 

As coisas têm a energia que colocamos nelas e exercem em nós a influência que permitimos.

-A GENTE MORRE e o mundo continua caótico, os politicos e a economia continua igual,  como se a nossa presença ou ausência não fizesse a menor diferença. 

Na verdade, não faz mesmo.

-Somos pequenos, porém, prepotentes. Vivemos nos esquecendo de que a morte anda sempre à espreita.

A GENTE MORRE, pois é.

É bem assim: Piscou, morreu.

-O telefone celular, computador e tablet são  decodificados e os segredos expostos. As fotos continuam na nuvem ate não mais ser pago a mensalidade. A página na internet também ate que a anuidade não seja mais paga.

As viúvas se casam novamente, fazem sexo, andam de mãos dadas e vão ao cinema e viajam.

-A GENTE MORRE e somos rapidamente substituídos no cargo que ocupávamos na empresa, no clube, na roda de amigos.

As coisas que sequer emprestávamos são doadas, algumas jogadas fora.

Quando menos se espera, A GENTE MORRE. Aliás, quem espera morrer?

Se a gente esperasse pela morte, talvez a gente vivesse melhor.

Talvez a gente colocasse nossa melhor roupa hoje, fizesse amor hoje,

Talvez a gente esperasse menos dos outros,

se a gente esperasse pela morte, talvez a gente perdoasse mais, risse mais,

saísse a tarde para ver o mar, talvez a gente quisesse mais tempo e menos dinheiro.

Talvez se viajaria mais, mais para longe. Dançasse mais. O tempo voa. 

-A partir do momento que a gente nasce,

começa a viagem veloz com destino ao fim – e ainda há aqueles que vivem com pressa.

Sem se dar o presente de reparar que cada dia a mais é um dia a menos, 

porque A GENTE MORRE o tempo todo, aos poucos e um pouco mais a cada segundo que passa. 

  • A GENTE MORRE e ficamos  na lembrança dos que continuam vivos por um tempo até que ninguém que nos conheceu, que ficou sabendo de nós continue vivo. 
  • “SOMOS NECESSÁRIOS AQUI E AGORA, DISPENSÁVEIS , DEPOIS E NO ALÉM.”

 do Livro-A ti concedo a economia da vida.

  • “A decisão mais importante que cada um precisa tomar e decidir o que fazer com o tempo que nos é dado.”

 do filme – Senhor dos Anéis.( Galdalff)

  • “Amanhã é amanhã , hoje é hoje.”

Provérbio Japonês 

  • “Comei, bebei, alegrai-vos e viajais pelo mundo

com responsabilidade, porque amanhã morrereis.”

(livro de Nefi -adaptado)

  • “Nós todos moremos, é como vivemos que importa.”

Dialogo da serie  The Last Kingdom.

  •  ” O que fazemos para nós mesmos morre conosco. O que fazemos pelos outros e pelo mundo permanece e é imortal.  “Albert Pike.

-O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM O POUCO TEMPO QUE TE RESTA?

Eu sei.

adaptado por

Marcos Hans

Writer, Speaker, Administrator, Personal and Executive Coach ICI Integrated Coaching Institute.

Commercial  real estate  developer and  a  Happy World Traveller 

Past Grand Secretary of Foreign Affairs- Grand Lodge of Rio Grande do Sul – Brazil

Grand Representative near Grand Lodge of India.

Past Master,33,MRA,SEM,Kt.Pr., FRC,Shriner, SRCF VII, TOM. 

See curriculum.  http://www.sejalider.com.br/?p=4243

Share