Arquivo mensal dezembro 2009

Curiosidades sobre a República de Cuba.

-Como tudo e todas as empresas, mesmo as pequenas, pertencem ao Estado, o Salário mínimo, como estamos acostumados a comparar, é de 230,00 Pesos Cubanos, que aproximadamente dá U$ 10.00. O Estado deveria fornecer tudo para a sobrevivência, porem não tem mais condições e ai cada um, cada família, com criatividade, no mercado negro, consegue comida e tudo o mais que necessitam para viver.

-Matar, por exemplo, uma vaca, boi, cavalo, que pertencem ao Estado, é um crime passível de prisão superior a oito anos. O que os campesinos fazem, é não registrar os terneiros e o matam quando estiver pronto e ai vendem a carne clandestinamente.

-Pescar lagosta ou outros peixes, existe uma cota. Depois tem impostos. O mercado negro de comida e a sobrevivência diária é parecida ao que se vê em filmes, quando um grupo de perde em uma ilha deserta.

-Jantei com um grupo de cubano, locais, que nunca saíram do país. Um era médico, especialista em medicina interna. Perguntei se poderia trabalhar em qualquer parte do mundo, considerando sua preparação. “Eu sei, mas os que estão se formando agora, não mais, pois nossa literatura e as técnicas modernas, não nos são mais disponíveis.” Portanto, o conhecimento está parcialmente congelado.

-Perguntei ao grupo de cinco, neste encontro, se alguém tinha um carro. “Não , é muito difícil senão quase impossível poupar.” Isto me leva ao pedir carona. Vi varias pessoas, na cidade, nas sinaleiras e entroncamentos, solicitando carona. Isto é normal aqui e também seguro. Por quê? Porque não há transporte publico suficiente. Nas rodovias, em baixo das pontes existe um funcionário estatal com macacão amarelo, responsável para organizar as caronas de longo alcance. Os carros de chapas azuis, do Estado, são obrigados a parar para acomodar a carona, ou podem ser reportados.

-Mais curiosidades. Viaje para Cuba. Você nunca vai encontrar um congestionamento, nem na hora do rush, porque simplesmente não tem carros para isto. Se isto é positivo ou não. Você julga. Tudo é uma questão de atitude.

 

Fotos-https://1drv.ms/f/s!AuwEJ-_opc9ziSEUO345akZJ0xuB

Share

Havana-Cuba

-A primeira impressão, embora tenha chegado à noite, é de muita limpeza nas ruas e asfalto sem buracos. Os carros na maioria antigos. Um Chevrolet 53 em estado de novo cruza a frente do táxi que me leva ao hotel. Ladas, jeeps pintados pela centésima vez, pois parecem novos estão por todo lado. Também carros novos, franceses.

-Aproximei-me à uma concentração de jovens, que estavam cantando e dançando em uma praça próxima ao hotel e comecei a entrevista com um jovem. Diga-me, todos vocês estão pensando em sair do país ou estão felizes aqui? De pronto: todos pensam e tem intenções de sair, mas é difícil. Através de casamento com estrangeiros, ou vistos raros para o exterior e então não retornam mais.

-Estudei com um jovem no sul da Flórida que havia conseguido visto para Espanha, porque tinha parentes lá, e depois viajou para os Estados Unidos e, portanto fugiu do seu país para tentar uma vida em liberdade. O entrevistado confirmou este tipo de façanha.

-Durante esta conversa, logo começaram os negócios. Ofereceu charutos cubanos ou qualquer outra mercadoria. Logo pediu para pagar uma cerveja. A impressão é que todos estão sedentos de contato com o exterior e quando se inicia uma conversa não querem se afastar.

-Situada apenas a 90 milhas do sul da Flórida, A ilha de Cuba é hoje junto com a Coréia do Norte um dos últimos redutos comunistas. Por estar durando tanto, mais de 50 anos, deve ter seu lado positivo, o que ainda não vi, talvez ficando mais alguns dias perceba isto.

-De qualquer sorte, percebi alegria nas pessoas. Ou é sua atitude normal, ou a musica ou o rum. Tudo é uma questão de atitude.

Marcos Hans

Fotos –https://1drv.ms/f/s!AuwEJ-_opc9ziSEUO345akZJ0xuB

Share

Cuba.

-Quando se fala de Cuba, imediatamente se diz que a medicina e o ensino são exemplares. Na verdade, em entrevistas com locais, era o objetivo da revolução e é que restou. O erro foi e está sendo é que o Estado se tornou grande demais e não consegue atender mais as demandas.

-Os hotéis são partes do Estado, empresas de táxi, de turismo, restaurantes, quase tudo tem a mão do Estado. Placas azuis nos carros denotam serem do Estado. Vermelho, particulares. Verde, militares. Pretas, consulares. A grande maioria são azuis.

-Tive uma experiência ao vivo na área medica. Filtro solar penetrou em meu olho e tive que ir ao médico do hotel. Prontamente atendido, porem a dor continuava. Fui encaminhado a uma clínica. Fui atendido prontamente porque não havia fila. Paguei obviamente à consulta, que será reembolsada pelo seguro já devidamente autorizado, e a doutora, a enfermeira, as atendentes foram profissionais, atenciosos. Mesmo sendo uma experiência rápida, confirmo que este setor funciona aqui.

-Em uma das minhas entrevistas com a guia turística: Eu gasto mais com eletricidade do que o meu salário. Consigo sobreviver com as gorjetas. É possível comprar um carro? Sim, o governo precisa autorizar, mas com os níveis de salário, quase ninguém consegue poupar para comprar um. Os carros antigos, todos de antes da revolução, valem em torno de 10.000 Cucs, dólares convertidos, aproximadamente U$ 8.000.

-Alias, os prédios, o Capitóio, idêntico ao dos USA (dizem que foi copiado daqui), Cadetrais, Igrejas, Prédios Públicos, todos são de antes da revolução. O que foi feito depois? Manutenção, pouca manutenção.

-Qual é o futuro?Tem-se a esperança aqui que o governo vai aprovar uma lei para liberar viagens com mais facilidade e o retorno dos cubanos que fugiram para assim, aos poucos ir abrindo o mercado. Enquanto isto, aqui parece ser uma grande prisão, com mar e praias lindas por todo lado. O maior negócio atualmente é o turismo.

-Tudo aqui também é uma questão de atitude. Ou você se adapta, ou provoca outra revolução.

 

Marcos Hans

Fotos-https://1drv.ms/f/s!AuwEJ-_opc9ziSEUO345akZJ0xuB

Share

Cuba-Cayo Largo e Velha Havana

Cuba-Cayo Largo e Velha Havana.

 

Um complexo de ilhas, a 30 minutos de Havana, com areias tão brancas que refletem o sol para ofuscar sua vista.Parece sal fino. Águas tão transparente como algumas do nosso nordeste. Os aviões que fazem esta rota, também estatal obviamente, são de fabricam russa, com hélice. Entra-se pelo avião pela parte de trás. Uma aventura, uma sensação de safári. O barulho do motor no ouvido o tempo todo, pois a aeronave é pequena.

Tudo preparado para turistas. Os locais, dificilmente tem acesso a estes programas por causa do valor, do tempo, pois precisam estar ocupados por sua sobrevivência.

Na antiga Havana, todos os prédios datam de antes da revolução, são todos muitos antigos, falta pintura, falta restauração. Parecem com os carros antigos de 1953. Um programa com verbas da Unesco esta em andamento e muitos prédios já foram restaurados e muitos em andamento, pois foram declarados patrimônio da humanidade.

Velha Havana, um lugar nostálgico, parece que se está em outra época. Para rodar um filme aqui retratando os anos 40, 50 e 60 ano é necessário mudar nada, é só não filmar algumas Mercedes das embaixadas que eventualmente circulam pelas ruas.

O serviço de transporte público funciona. Fui à praia Santa Maria, uma praia de locais. No retorno, havia uma fila grande de passageiros aguardando. Quando o ônibus estava lotado, digo, todos os assentos ocupados, o motorista anuncia que os demais deviam esperar o próximo. Ninguém viaja de pé, segurando-se em qualquer lugar, encostando um no outro. Pois assim funciona aqui, transporte civilizado em pais com regime socialista. Nada parecido com São Paulo, Porto Alegre, onde as pessoas se espremem para viajar, no ônibus, no trem. Só no avião que tem lugar para cada um.

Cuba. Uma experiência para comparar. Um dos últimos lugares, além da Coréia do Norte onde o socialismo esta muito presente. ( não se fala da Venezuela neste caso).

Tudo é uma questão de atitude.какую видеоняню выбратьclick now

Share